Gastronomia: Estas tendências estão a mudar a forma como comemos

Na gastronomia, têm surgido múltiplas tendências, como reflexo da mudança de atitudes relativamente à saúde e à sustentabilidade. O ano 2018 está a ser bastante rico no que diz respeito a novas modas na alimentação.

Quem ainda não identificou a popularidade do brunch, a comida em bowls e a propagação da pera abacate? E quem nunca ouviu falar da reconhecida pimenta Timut ou do chá festivo? Estes são apenas alguns exemplos, mas é possível mencionar muitos mais.

Os especialistas apontam 2018 como o ano da consolidação da gastronomia vegan. Contudo, dão conta de uma perspetiva vegetariana mais aventureira, com a experienciação de vegetais até ao momento desconhecidos, proporcionando assim novas experiências.

É de referir, contudo, que não só as opções gastronómicas estão a produzir mudanças na nossa alimentação. A forma como comemos é também influenciada por novas ferramentas tecnológicas e por uma maior consciência social.

 

7 Tendências que têm vindo a marcar a gastronomia

 

1. Comida amiga do sistema digestivo

Os problemas intestinais estão no topo das preocupações de saúde dos indivíduos. Por isso, existe uma forte tendência para consumir alimentos probióticos, como o coreano Kimchi e o japonês Miso. Também os pré-bióticos, como a cebola e o alho, ganharam algum destaque.

 

2. Poke

Este prato típico do Havai tem vindo a ganhar destaque na gastronomia mundial. Trata-se de uma espécie de sushi, mas não requer uma apresentação exigente. Por não ser ainda muito popular, esta apresentação alimentícia é bastante económica. Além disso, é personalizável, uma vez que permite brincar com diversos ingredientes, dependendo do gosto de cada pessoa.

 

3. Pimenta Timut

Também conhecida como falsa pimenta, esta especiaria teve origem no Nepal. É extremamente aromática, com notas florais, como a rosa e o jasmim, e um toque fumado e amadeirado. Na sua composição, são ainda de referenciar o maracujá e a laranja, entre outros citrinos, como toranja e limão.

Este condimento é excelente para acompanhar peixe, carpaccio, tártaro e ceviche, assim como crustáceos e marisco. É igualmente uma excelente opção para carnes, brancas ou vermelhas, bem como para queijo branco ou de cabra fresco. As frutas também não devem ser colocadas de parte. Note que este tipo de pimenta poderá ser aliado a outras especiarias, como o cardamomo ou o alecrim.

 

4. Chá festivo (de jasmim e gengibre)

O chá é preparado com água quente, através da infusão de flores, ervas, folhas ou raízes. Esta bebida tem-se tornado cada vez mais popular, pelo que as vendas para consumo doméstico têm vindo a crescer. É, por isso, espectável a proliferação de espaços comerciais com condições especiais para a “hora do chá”!

 

5. Proteína à base de plantas

A proteína à base de plantas, como é exemplo a bowl de burrito de abacate, tem-se revelado uma das opções de gastronomia mais populares entre cozinheiros. Devido ao recurso a ingredientes como o tofu e a quinoa, representa uma ascensão no veganismo.

Esta tendência resulta também da redefinição da gastronomia indiana, rica em leguminosas. Com efeito, tem levado os restaurantes de volta às “raízes” vegetais, com originalidade e apelo. Prevê-se, portanto, que as refeições à base de carne venham a diminuir nos próximos anos.

 

6. Mindfulness

A palavra inglesa mindfulness significa estado de atenção plena. Esta condição resulta em novas atitudes dos consumidores, que procuram saber cada vez mais sobre os alimentos que consomem. Conhecendo as suas origens e a forma como são preparados, torna-se mais fácil averiguar o seu real valor. Este é, portanto, um novo desafio para os produtores e para os gestores de Marketing.

Buzzwords como saúde e bem-estar, consciência social e nutrição assumem um papel bastante importante na gastronomia e no processo de compra dos alimentos. Além destes critérios, também o custo é relevante para os compradores.

 

7. Inteligência artificial

Atualmente, a inteligência artificial ocupa um lugar importante no mercado. Soluções como a Alexa, Google Home e Sonos estão a auxiliar o consumidor no processo de compra dos produtos alimentares. Estima-se que, nos próximos anos, o número de aparelhos inteligentes nos lares cresça exponencialmente, revolucionando o atual conceito de supermercado.

A relação entre a chamada Internet das Coisas e a indústria alimentar é intensa e sê-lo-á ainda mais no futuro. Por conseguinte, os dispositivos tecnológicos serão os principais responsáveis pela reposição dos produtos essenciais nas nossas casas. Já os supermercados, como os conhecemos hoje, serão responsáveis pela comercialização de alimentos frescos e especiais.

 

Na Costa Verde, trabalhamos diariamente para desenvolver soluções que vão de encontro a estas e outras tendências gastronómicas. Tanto as opções requintadas e elegantes como as peças casuais e práticas primam pela excelência e pela capacidade de potenciar a apresentação dos alimentos.

Linhas como a Saturno, Eclipse e Duo dispõem de chávenas e canecas de diversas formas e capacidades para servir chá. Também a coleção Universal resulta da adaptação a uma nova tendência na gastronomia: a bowl food revolution.

Atreva-se a explorar as possibilidades que a Costa Verde proporciona para compor a sua mesa. Na hora de escolher o seu serviço de loiça, faça a escolha certeira. Opte por peças de porcelana de qualidade impar.

 


 

Subscreva o nosso blog!