A Costa Verde iniciou a atividade em 1992, sendo uma das mais modernas empresas do sector no espaço da União Europeia.

A fábrica está localizada no Distrito de Aveiro e possui uma área coberta de 30.000 m² e uma área disponível de mais de 60.000 m².

Com qualificados Recursos Humanos, a empresa aposta permanentemente na formação e na actualização dos processos, o que leva a nossa empresa a deter um posicionamento e uma postura nos mercados onde está presente de forma eficaz e assente no serviço ao Cliente.

Caracterizada pelo equipamento da mais avançada tecnologia de origem alemã, assim como utilizadora de matérias-primas nacionais e estrangeiras rigorosamente selecionadas, o nosso produto, prima pelo elevado índice de qualidade. O Departamento de Qualidade executa trabalhos em regime de continuidade, de avaliação e controlo, em estreita relação com o Departamento Cientifico do Departamento de Cerâmica e Vidro da Universidade de Aveiro e o Centro Tecnológico de Cerâmica e Vidro – Coimbra.

Em termos percentuais, 75% da produção é exportada para a União Europeia, Estados Unidos da América, Japão, Coreia do Sul, Inglaterra, Suíça, Dinamarca, Estados Unidos da América,  África do Sul, Chile, Brasil, México, Angola entre outros.

A nossa Missão

Ser inovadora, proactiva e flexível na criação de produtos e serviços que excedam as expectativas, tendo sempre em vista a superação da satisfação dos seus clientes e acionistas, no respeito pela envolvente interna e externa da organização.

A nossa Visão

Ser líderes de mercado no segmento da Hotelaria e, simultaneamente, uma referência como empresa socialmente responsável e inovadora.

Porcelana

A porcelana distingue-se dos demais produtos cerâmicos pela coexistência de três características técnicas, únicas e fundamentais: a dureza, a brancura e a translucidez. A porcelana tem ainda um alto nível de resistência mecânica, baixa porosidade e alta densidade que, no dia-a-dia, garantem resistência, durabilidade, inocuidade, toque suave e beleza.

As matérias-primas utilizadas na porcelana, apesar de comuns às outras cerâmicas, passam por critérios de seleção qualitativa muito mais exigentes no que respeita à constância de características técnicas e ausência de contaminantes, e ao procedimento diário de testes laboratoriais de controlo.

Quatro matérias-primas compõe a pasta de Porcelana – Quartzo, Argila, Feldspato e Caulino, numa rigorosa composição.

As peças são obtidas utilizando vários processos de fabrico, entre os quais, o Enchimento, a Prensagem Isostática, o Enchimento em Alta Pressão e a Contra Moldagem.

Segue-se uma primeira cozedura a 1000ºC, num ciclo até 18 horas, para de seguida, depois de vidradas, as peças serem de novo cozidas a uma temperatura até 1400°C. É aqui que ao atingir a sua maturação, isto é, ao ficar impermeável, extremamente resistente, branca e translúcida, obtemos a  Porcelana.

De realçar ainda a resistência que possui aos ataques químicos, que lhe são provocados pelos detergentes, os alimentos e ataques mecânicos, nomeadamente à utilização de talheres.

O produto decorado é obtido através da aplicação de decoração que se consegue numa terceira cozedura a 1250ªC (Alto Fogo), o que permite que a decoração fique dentro do vidrado – Inglaze – e daí a sua extraordinária resistência e durabilidade.

No final de todos estes processos complexos, morosos, muito específicos e extremamente rigorosos, não só na sua aplicação mas hoje em dia sobretudo no seu controle, é a nossa porcelana, com a sua extraordinária beleza e qualidade.